Julia Quinn - Quarteto Smythe-Smith 01 - Simplesmente o Paraíso


Durante os livros da família Bridgerton, vimos que a sociedade londrina frequentava anualmente o concerto das Smythe-Smiths, também conhecido como o quarteto mais desafinado da Inglaterra.

Desde que elas apareceram pela primeira vez na outra série, fiquei curiosa sobre as terríveis musicistas e secretamente esperava ver mais sobre elas... Bem, Julia Quinn não desapontou os fãs e lindamente nos entregou a história das Smythe-Smiths!

Em 'Simplesmente o Paraíso', primeiro livro do quarteto, vamos conhecer a história de Honoria Smythe-Smith e Marcus Holroyd. Ela estava decidida a casar ainda naquele ano e ele, tinha apenas uma missão...
"Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violonista ruim, ainda precisa melhorar muito...
Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista.
Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão...
Porém não se sente tão confortável com a tarefa; Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente?
Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn enfim apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele."
Marcus Holroyd crescera sozinho... Seus pais eram tão ausentes de presença quanto emocionalmente. Perdera a mãe aos 4 anos, mas sua morte pouco lhe afetou, pois a vira tantas vezes que podia contar nos dedos de uma mão. Depois disso ficou inteiramente sob os "cuidados" do pai, conde de Chatteris, que vivia inteiramente no campo e se dedicava mais à sua terra e posição do que ao próprio filho. Até que com 12 anos, o conde mandou o herdeiro para Eton College e lá, Marcus fez sua primeira (e provavelmente única) amizade: Daniel Smythe-Smith.

A amizade dos dois era forte, tão forte a ponto de Marcus passar mais tempo com a família de Daniel do que com a sua própria, que consistia em apenas ele e o pai. E estar entre os Smythe-Smiths era caótico e barulhento, especialmente quando a irmãzinha mais nova de Daniel, Honoria, estava no meio... O tempo passou e a amizade continuou firme e forte, tudo ia bem até que Daniel se envolveu em uma situação que o forçou a deixar o país. Mas antes, ele incumbiu Marcus de uma missão: cuidar de Honoria para que ela não se casasse com algum pretendente inadequado.

Agora, três anos depois de Daniel ter ido embora deixando tudo para trás, Honoria está decidia a se casar ainda naquele ano. Não porquê quisesse escapar dos horríveis recitais da sua família, algo que secretamente adorava, mas porque depois da fuga do irmão, ficara solitária, apesar de ser a mais nova e ter uma quantidade absurda de familiares... O que ela queria, o que Honoria ansiava, era uma família para si!

Com isso em mente, ela e as amigas/primas resolveram convidar alguns jovens universitários para passarem uns dias na propriedade de campo da família de uma delas, que, por coincidência, era propriedade vizinha da de Marcus, agora, o atual conde de Chatteris.

Honoria, que não era tola, logo bolou um plano para tentar fisgar um dos pretendentes, mas digamos que o tiro saiu pela culatra. Por consequência, Marcus foi quem acabou caindo na armadilha de Honoria, mesmo ele tendo visto a jovem preparando tudo e tenha se divertido com o que viu... E bem, o desenrolar dessa história não foi muito boa para o conde de Chatteris!

Quando Honoria descobre que Marcus não está bem, ela larga tudo e parte para Fensmore com a mãe à reboque. Ao se depararem com o sério estado de Marcus, a mãe da nossa mocinha parece sair do estupor que estava desde a fuga do filho, e parte para a missão de salvar o conde. Enquanto isso, Honoria dedica todos os segundos do seu tempo para tentar confortar o amigo e tentar abafar sua própria preocupação para com a vida daquele homem que começava a ver com outros olhos.

E basta dizer que quando a crise passou e o conde não corria mais riscos, Honoria não foi a única que passou a ter uma nova perspectiva da pessoa ao lado. Mas então, uma novidade repentina e inesperada, fará com que algumas verdades venha a tona. Será que os sentimentos serão os mesmos depois de todas as cartas serem postas na mesa?

Simplesmente adorei esse primeiro livro! Foi uma ótima maneira para começar a série! Como sempre, Julia Quinn sabe como nos envolver em um livro desde a primeira página até a última palavra. Eu fiquei curiosa com o quarteto Smythe-Smith desde sua primeira aparição nos livros da série 'Os Bridgertons' e desde ali, toda vez que apareciam com seu concerto anual, rendiam boas risadas principalmente com a reação da plateia...

Honoria Smythe-Smith embora pareça um jovem delicada, acaba se mostrando uma personagem forte, de presença e com uma força de vontade invejável! Ela sabe que o quarteto musical não chega nem perto de ser afinado e que no final as pessoas saem quase surdas, mas tudo o que Honoria pode fazer é colocar um sorriso no rosto e seguir tocando, porque, secretamente, ela adora os recitais desafinados de sua família! Tradição e família são duas coisas extremamente importantes para nossa mocinha.

E são justamente essas duas coisas que Marcus Holroyd só aprende depois que conhece a família Smythe-Smith... Me apaixonei por Marcus logo no prólogo, quando Julia Quinn apresenta rapidamente a história do personagem. Por trás de uma couraça dura e indiferente, o conde de Chatteris tem um lado apaixonado, tímido e vulnerável. Quem diria!?

Assim como nos demais livros da Julia Quinn, 'Simplesmente o Paraíso' segue uma linha leve e descontraída que rende muitos risos e suspiros, algo que já é característico da autora. Por ser uma série que surgiu dentro do universo da família Bridgerton, temos aparições de alguns membros da família 'abecedário' bem como outros personagens que já conhecemos, como por exemplo, a infame lady Danbury que nada mais é do que tia-avó de Marcus!

Adoro quando os autores fazem isso, dá até para matar a saudade de alguns personagens das tramas de outras séries...

E agora, vamos para o próximo livro!
Vocês podem encontrar o livro para comprar nos seguintes sites: AmazonAmericanasCultura, Fnac, SaraivaSubmarino.

Lembrando que a Arqueiro preparou um box premium, que vem com os 4 livros e mais uns mimos exclusivos! Vocês podem encontrar o box para comprar nos seguintes sites: AmazonAmericanasCulturaSaraivaSubmarino.

Outros links: Skoob Goodreads
                                                               ~*

Abaixo estou colocando os livros em ordem de leitura, e caso queiram ver as resenhas deles, é só clicar no título desejado:

                  * Livro 01 - Simplesmente o Paraíso
                  * Livro 02 - Uma Noite Como Esta
                  * Livro 03 - A Soma de Todos os Beijos
                  * Livro 04 - Os Mistérios de Sir Richard

Espero que tenham gostado!

Beijos,
Mari.

1 recadinhos :

  1. Estou louca para conseguir os livros, todo mundo falando, adoro romances de época! Me sinto aquela criança que está do lado de fora da grade do parquinho! ahahah Adorei a "resenha", só me deu ainda mais vontade porque amo de coração a Júlia <3

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...