Mila Wander - Diário de Uma Cúmplice


O post de hoje é dedicado à um livro nacional... A autora, bem, acho que a Mila Wander dispensa apresentações, né?! Mila é para lá de conhecida nas plataformas digitais e mídias sociais pelo burburinho que faz com suas histórias divertidas e apimentadas.

Em 'Diário de Uma Cúmplice', a autora nos traz a história de Christine, uma professora de ensino infantil, que vivia sua vida, um tanto sem graça, mas que de uma hora para a outra passa por situações que nunca poderia imaginar.

E é em um diário que a personagem vai nos contar a loucura que a sua vida virou depois que ela conheceu Miguel.
"Meu nome é Christine, ou pelo menos costumava ser. Professora numa escola infantil, eu levava uma vida bem normalzinha, meio sem graça, até que numa noite eu o vi. Começou com uma paquera descompromissada, daquelas que acontece quando você vê um cara gato do outro lado da rua. Ele me olhou, eu olhei pra ele e sorri.
Esse joguinho de sedução poderia ter terminado num café, ou quem sabe em um namoro, se ele não tivesse se aproximado de mim e me apontado uma arma.
Não sei o que me deu para salvá-lo da polícia e abrigá-lo na minha casa. Burrice? Solidão? Não tinha a menor intenção de me tornar cúmplice de um criminoso. Mas seu olhar quente, sua fala mansa e sedutora me enlaçaram de tal forma que, de repente, eu me vi no meio de um turbilhão de acontecimentos.
Agora, refém da paixão por aquele homem, só me restava relatar em um diário como fui me envolver - mais de corpo do que de alma - com a maior quadrilha do país."

Christine levava uma vida bem normal, posso dizer até que era um pouco insípida, a única coisa de vibrante em sua vida eram os seus cabelos vermelhos. Órfã desde os quinze anos, sua vida se resumiu à poucos amigos e depois de adulta, se tornou apenas ir de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Até que um dia tudo muda, e é isso o que a personagem nos conta em seu diário que ganhou de aniversário de sua melhor amiga Lessy.

Christine voltava do trabalho quando avista um homem para lá de bonito do outro lado da rua... Ela olha para ele, ele olha para ela, e se aproxima. Mas quando você acha que tudo se encaminha para uma paquera, que ele vai perguntar no nome dela, ou puxar papo, ele faz justamente o oposto, deixando-a na mira de uma arma... Aquele misterioso homem, na verdade era um bandido e estava fugindo da polícia. Que sorte, hein, Christine?!

Bom, qualquer mortal faria o quê? Tentaria se esquivar da situação, se desesperaria, se descabelaria, berraria ou sei lá qual seria a sua reação à uma situação do tipo. Mas Christine...bem, Christine fez algo que me deixou pensando "Querida, você bate bem das ideias?". Pois bem, a reação da personagem, embora um tanto hesitante, é ajudá-lo. E é isso o que ela faz. Num minuto ela era uma refém, e agora, estava ajudando um bandido!

Como se não bastasse ajudá-lo, em um momento de impulso, apresentado pela possibilidade de sua vida continuar naquela mesmice de outrora, a bichinha faz com que Miguel, o infame bandido, a leve com ele. 

Vocês estão entendendo o porquê de eu pensar que Christine não bater bem? Vocês têm noção disso? Quem em sã consciência faria uma coisa dessas?! Eu poderia dizer que ela sofre Síndrome de Estocolmo, mas aparentemente essa síndrome só acomete quem passa um longo período com o captor, mas tudo bem...

Em seu diário, Chris retrata como é o dia-a-dia com Miguel e o bando com o qual trabalha. Ali, ficamos à par de quem é o chefão, das amizades e das inimizades, das missões que eles vão e das coisas impensáveis que a maior quadrilha do país faz. 

Além de tudo isso, também vemos como Christine lida com as situações adversas em que se encontra, e também seus sentimentos, esperanças e temores. Quanto à Miguel, Christine se mostra dividida em relação à ele, afinal, ela não contava com uma questão...

'Diário de Uma Cúmplice' foi uma boa leitura. Embora a autora já tenha lançado o livro de maneira independente, e agora o esteja publicando com a editora Planeta de Livros com o selo Essência, eu ainda não havia lido. Sabia do livro, mas ainda não havia tido a oportunidade de lê-lo.

Confesso que pela capa, esperava algo bem apimentado, embora a sinopse não revele muito... Mas me surpreendi. Embora tenha cenas apimentadas, posso dizer que é bem menos do que a maioria dos livros que andam por aí. A Mila focou mais na situação que a personagem estava passando e como ela estava lidando com tudo, do que na quantidade de pimentinhas que ela acrescentaria à trama.

Achei a leitura bem rápida e fluida, isso sem falar que o livro ficou bem dosado, tirando a minha indignação com a personagem, porque né... Amor bandido não é comigo! Hahahahahah.

Caso você ainda não tenha lido nenhum livro da Mila Wander, acredito que 'Diário de Uma Cúmplice' seja um bom livro para você se familiar com a escrita da autora. Se recomendo? Com certeza!
Vocês podem encontrar o livro para comprar nos seguintes sites: AmazonAmericanasCulturaSaraivaSubmarino.

Outros links: Skoob Goodreads

Espero que tenham gostado!

Beijos,
Mari.

2 recadinhos :

  1. Obrigada e parabéns pela resenha muito bem escrita!
    Christine é o tipo de personagem que criei para ser completamente pirada e bipolar. Fico feliz que tenha curtido a leitura!!
    Um beijooo!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada e parabéns pela resenha muito bem escrita!
    Christine é o tipo de personagem que criei para ser completamente pirada e bipolar. Fico feliz que tenha curtido a leitura!!
    Um beijooo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...