Sylvia Day - Crossfire 05 - One With You {Trechinho}

Essa segunda-feira, dia que muitos detestam, foi considerado um dia bem diferente. Em especial, porque titia Sylvia Day liberou mais um trechinho do próximo livro da série Crossfire.

Com relação às atualizações sobre o tema
1) Não, ainda não foi liberada a capa.
2) Não, ainda não há previsão de lançamento do livro.
3) Sim, esperamos que o livro seja lançado ainda esse ano, 2015, como a própria autora informou.

Não consegui parar para fazer a tradução, mas estou trazendo para vocês a tradução da Lari da página Série Crossfire Brasil, e está divina!

"Mas Mari, ainda não li o outro trecho liberado. E agora?" Calma, não se afobe! Clique aqui para dar se atualizar com o primeiro trecho!

O trecho abaixo pode ser alterado no momento da publicação do livro ou até mesmo ser excluído. 

Lembrando mais uma vez que a tradução abaixo NÃO é do Compulsivamente Literária e sim da Lari do Série Crossfire Brasil.

Prontos(as)? Então tá bom, lá vai!
“Mais flores?” Arash Madani falou lentamente enquanto passava pelo vidro aberto das portas duplas do meu escritório.

Meu advogado principal caminhou até onde as rosas brancas de Eva decoravam a principal área. Eu as tinha colocado na mesa de café, na minha linha de visão direta. Lá, elas tinham estado tirando com sucesso a minha atenção para longe das cotações de ações correndo na parede de telas planas atrás delas.

O cartão que acompanhava as flores estava em cima do vidro fumê da minha mesa e eu passei os dedos, relendo as palavras pela centésima vez.

Arash puxou uma rosa para fora e levantou-a ao nariz. “Qual é o segredo para se ganhar algumas destas?”

Sentei-me, distraidamente observando que sua gravata em tons de esmeralda combinavam com os decantadores de predras preciosas decorando o bar. Até a chegada de Eva, as garrafas coloridas e um vaso vermelho haviam sido as únicas manchas de cor no firmamento monocromática de meu escritório. “A mulher certa.”

Ele voltou a flor à seu vaso. “Vá em frente, Cross, esfregue isso na minha cara.”

“Eu prefiro tripudiar em voz baixa. Você tem alguma coisa para mim? ”

Aproximando-se da minha mesa, ele sorriu de uma forma que me disse que adorava o trabalho dele, embora eu nunca duvidei disso. Seu faro de rapina era quase tão altamente desenvolvido quanto o meu.

“O acordo Morgan está funcionando muito bem junto.” Ajustando as calças sob medida, ele se estabeleceu em uma das duas cadeiras em frente da minha mesa. Seu estilo era um pouco mais  chamativo do que o meu, mas não poderia ser criticado. “Nós eliminados os pontos maiores. Ainda precisamos melhorar algumas cláusulas, mas devemos estar prontos para prosseguir até a próxima semana. ”

“Bom”.

“Você é um homem de poucas palavras.” Casualmente, ele perguntou: “Vocês vão se reunir neste fim de semana?”

Eu balancei minha cabeça. “Eva pode querer sair. E se não quiser, eu vou tentar convencê-la. ”

Arash riu. “Eu tenho que te dizer, eu esperava que você se estabelece com alguém em algum ponto como todos nós fazemos, eventualmente, mas eu pensei que eu teria percebido isso.”

“Assim como eu”, o que não era muito a verdade. Eu nunca esperava poder compartilhar minha vida com ninguém. Eu nunca neguei o meu passado sombrio, mas eu não via necessidade de compartilhar esse passado com alguém antes de Eva. Nada poderia ser mudado, então por que refazer isso?

De pé, eu andei a uma das duas paredes de janelas emoldurando do chão ao teto do meu escritório. Eu olhei para a cidade vendo o esplendor urbano se esparramando para além do vidro.

Eu não sabia que Eva estava em algum lugar deste mundo, tinha estado com medo até de sonhar em encontrar a única pessoa no mundo que iria aceitar e amar cada faceta de mim.

Como era possível que eu a tivesse encontrado aqui, em Manhattan, no prédio que eu tinha construído contra grande conselho administrativo e com grande risco? Demasiado caro, eles tinha dito, e desnecessário. Mas eu precisava que o nome Cross fosse memorável e mencionado de uma maneira diferente. Meu pai tinha arrastado o nosso nome na lama; Eu tinha levantado ele para as alturas da cidade mais relevante no mundo.

“No fim você não mostrou nenhum sinal de que estava perdido dessa forma”, disse Arash atrás de mim. “Se bem me lembro, você marcou duas mulheres no Cinco de Mayo e algumas semanas mais tarde, você estava me dizendo sobre a elaboração de um acordo pré-nupcial insano.”

Eu examinei a cidade, tomando um momento raro para apreciar a vista panorâmica que me era conferida pela altura e posição do edifício Crossfire. “Quando você me viu atrasar para selar um acordo?”

“Uma coisa é expandir o seu portfólio, outra é reiniciar sua vida durante a noite.” Ele riu. “Então, quais são seus planos? Voltar para a casa de praia? ”

“Uma excelente ideia.” Levar minha esposa de volta para a Outer Banks era meu objetivo. Tê-la só para mim tinha sido o céu. Eu era mais feliz quando eu estava sozinho com ela. Ela me revitalizava, me fazia ter vontade de viver de uma maneira que eu nunca tive antes.

Eu construí o meu império com o passado em mente. Agora, graças a ela, eu iria continuar a construí-lo para o nosso futuro.

Meu telefone de mesa brilhou. Era Scott, na linha um. Eu apertei o botão, e sua voz veio pelo alto-falante. “Corinne Giroux está na recepção. Ela diz que precisa de apenas alguns minutos para deixar algo para você. Porque é privado, e ela quer dar isso a você pessoalmente. ”

“É claro que ela quer”, Arash entrou na conversa. “Talvez seja mais flores.”

Eu atirei-lhe um olhar. “Mulher errada.”

“Queria eu que as minhas mulheres erradas se parecessem com Corinne.” Ele começou a ir embora. “Boa sorte.”

Olhei para o relógio. Quarto para as cinco. “Senhora Giroux pode ter dez minutos. ”

Não seria preciso mais do que isso para me dizer o que precisava ser dito.

Através da parede de vidro que separava o meu escritório do resto do piso, eu assisti Scott saudar Corinne enquanto ela dobrava a esquina. Observei a maneira como ela sorriu para ele, e Arash ao passar por ela, antes de virar a cabeça para pegar o meu olhar. Seu sorriso se alargou ainda mais, transformando-a de uma mulher bonita para uma deslumbrante. Eu poderia admirá-la do jeito que eu admiraria qualquer coisa, exceto Eva, desapaixonadamente.

Agora casado e feliz, eu poderia compreender plenamente que erro terrível teria sido me casar com Corinne. Era uma pena para todos nós que ela se recusasse a perceber isso.

Levantei-me e dei a volta na minha mesa.

Ela deslizou para o meu escritório em estiletos vermelhos. O vestido sem alças que ela usava era da mesma tonalidade que os sapatos, e exibiam pernas longas de pele pálida. Ela usava o cabelo solto, os fios pretos correndo ao redor de seus ombros nus. Ela era o oposto de minha esposa e uma imagem espelhada de qualquer outra mulher que passou pela minha vida.

“Gideon. Obrigado por me receber “.

“Corinne.” Inclinando-se para trás em minha mesa, eu cruzei meus braços. “Eu não tenho muito tempo.”

“Eles me disseram.” Ela sorriu, mas seus olhos, de cor de águas-marinhas, estavam tristes.

Ela tinha uma pequena caixa vermelha debaixo do braço. Quando ela chegou até mim, ela puxou a caixa para fora e a ofereceu para mim.

“O que é isso?”, Perguntei, sem pegar a caixa.

“Estas são as fotos que aparecem no livro.”

A minha sobrancelha se arqueou. Eu encontrei-me desdobrando e aceitando a caixa, movido pela curiosidade. Não tinha sido há muito tempo que estávamos juntos, mas mal lembrava dos detalhes. O que eu tinha eram impressões, grandes momentos aleátorios. Eu era tão jovem, com uma perigosa falta de auto-consciência.

Corinne colocou a bolsa para baixo na minha mesa, movendo-se de uma forma que roçou o braço contra o meu. Cauteloso, eu estendi a mão e apertei o botão que controlava a opacidade da parede de vidro.

Se ela quisesse fazer disso um show, eu teria certeza de que ela não teria uma audiência.

Abrindo a tampa da caixa, eu fui confrontado com uma foto de Corinne e eu na frente de uma fogueira. Sua cabeça estava aninhada na curva do meu ombro, o rosto inclinado para cima para que eu pudesse pressionar um beijo em seus lábios.

A memória me assaltou imediatamente. Nós tínhamos feito uma viagem de um dia à casa de um amigo nos Hamptons. O clima tinha estado ótimo, considerando que era inverno.

Na foto eu parecia feliz e apaixonado, e de uma maneira, eu suponho que nós éramos. Mas eu tinha recusado o convite para passar a noite, apesar da desilusão óbvia de Corinne. Com os meus pesadelos, eu não conseguiria dormir ao lado dela. E eu não podia transar com ela, embora eu soubesse que era o que ela queria, porque o quarto de hotel que eu tinha reservado estava a milhas de distância.

Tantos rompimentos. Tantas mentiras e subterfúgios.

Eu respirei fundo e deixei o passado ir. “Eva e eu nos casamos, há três semanas.”

Ela endureceu.

Coloquei a caixa para baixo na mesa, peguei o meu smartphone e lhe mostrei a imagem do papel de parede, na tela, Eva eu dividindo o beijo que selou nossos votos.

Virando a cabeça, Corinne olhou para longe. Então ela pegou a caixa, folheando e procurando nossas melhores fotos na praia.

Eu estava de pé com roupa de surf até a cintura. Corinne estava retorcida em volta de mim de frente, as pernas em volta da minha cintura, os braços caídos sobre os ombros e as mãos no meu cabelo. Sua cabeça estava jogada para trás em um riso, a alegria irradiando da foto. Eu a segurava ferozmente, meu rosto virado para vê-la. Havia gratidão lá e admiração. Afeição. Desejo. Estranhos pensariam que era amor.

Corinne se inclinou, olhando para a foto, e então para mim. Sua expectativa era tangível, como se alguma epifania monumental fosse me atacar. Ela brincou com seu colar e eu percebi que era um que eu tinha dado a ela, um pequeno coração de ouro em uma corrente simples.

Pelo amor de Deus. Eu nem sequer me lembro de ter tirado essa maldita foto ou onde estávamos na época, e isso não importa.

“O que você espera que essas fotos provem, Corinne? Nós namoramos. Nós terminamos. Você se casou, e agora eu também. Não há mais nada. ”

“Então por que você está ficando tão chateado? Você não é indiferente, Gideon. ”

“Não, eu estou irritado. Isso só me faz apreciar mais o que eu tenho com Eva. E sabendo que essas fotos vão machucá-la com certeza não me faz sentir sentimental sobre o passado. Este é o nosso último adeus, Corinne. “Eu segurei o olhar dela, certificando-me de que ela viu minha decisão. “Se você voltar aqui, eu não vou te ver.”

“Eu não vou voltar. Você tem que- ”

Scott apitou através do telefone e eu atendi. “Sim?”

“Senhorita Tramell está aqui para você.”

Debrucei-me sobre a mesa novamente, tocando no botão que abria as portas. Um momento depois, Eva entrou.

Será que algum dia quando eu vê-la, eu não sentirei o deslocamento da terra debaixo dos meus pés?

Ela deu uma parada abrupta.

Corinne falou primeiro. “Olá, Eva.”

Me endireitei, eu joguei a foto de volta na caixa e fui para minha esposa. Em comparação com Corinne, ela estava vestida modestamente em uma saia listrada preta e uma blusa sem mangas de seda que brilhava como uma pérola. A onda de calor que eu sentia era toda a prova que eu precisava a respeito de qual mulher era mais sexy.

Eva. Agora e para sempre.

A atração que eu sentia me chamou do outro lado da sala em passos rápidos, longos.

Anjo.

Eu não disse a palavra em voz alta, não queria que Corinne ouvisse. Mas eu podia ver que Eva sentiu. Peguei sua mão, sentindo um arrepio de consciência que intensificou o meu aperto.

Ela deslocou-se para olhar para trás e reconhecer a mulher que havia sido sua rival.”Corinne.”

Eu não me virei para olhar, meus olhos estavam apenas em Eva.

“Eu tenho que correr”, disse Corinne atrás de mim. “Essas cópias são para você, Gideon.”

Incapaz de tirar meu olhar da minha esposa, eu falei sobre o meu ombro. “Leve-as com você. Eu não quero elas “.

“Você deve terminar de olhar elas”, ela respondeu, aproximando-se.

“Por quê?” Ainda mais irritado, olhei para Corinne quando ela parou ao nosso lado. “Se eu tiver algum interesse em vê-las, eu sempre posso folhear o seu livro.”

Seu sorriso ficou mais forçado. “Adeus, Eva. Gideon. ”

Quando ela saiu, eu dei outro passo para minha esposa, fechando o final da distância entre nós. Eu a peguei do outro lado, inclinando-me sobre ela para sentir o cheiro de seu perfume. Quando ele permeou os meus sentidos, senti a calma derivar através de mim.

“Estou feliz que você veio.” Eu sussurrei as palavras contra sua testa, precisando de cada ligação eu pudesse para me controlar. “Eu sinto tanto a sua falta.”

Fechando os olhos, ela se inclinou para mim com um suspiro.

Sentindo a tensão persistente na dela, apertei mais forte suas mãos já apertadas. “Você está bem?”

“Sim. Estou bem. Eu só não estava esperando para vê-la. ”

“Nem eu.” Tanto quanto eu odiava afastá-la, eu odiava ainda mais a ideia dela vendo estas fotos.

Voltando à minha mesa, eu coloquei a tampa de volta na caixa e joguei a coisa toda no lixo.

“Eu sai do meu trabalho”, disse ela. “Meu último dia de amanhã.”

Isso era o que eu queria, o que eu acreditava ser o melhor e mais seguro passo para ela. Mas eu sabia que tinha sido uma decisão difícil para ela tomar. Eva amava seu trabalho e as pessoas com quem trabalhava.

Sabendo o quão bem ela poderia me ler, eu mantive meu tom neutro. “Sério?”

“Sim.”

Estudei ela. “O que você vai fazer, então?”

“Eu tenho um casamento para planejar.”

“Ah.” Minha boca se curvou. Depois de dias temendo que ela tivesse dúvidas e fosse desistir, foi um alívio ouvir o contrário. “Bom saber.”

Eu a chamei para mais perto com o dedo.

“Me encontre no caminho”, ela atirou de volta, com um brilho de desafio nos olhos dela.

Como eu poderia resistir? Nós nos encontramos no meio da sala.

Era por isso que nós iríamos enfrentar bem todos os outros obstáculos que enfrentamos: Nós sempre nos encontraríamos no meio do caminho.

Ela nunca seria a esposa dócil que meu amigo Arnoldo Ricci havia desejado por mim. Eva era muito independente, muito feroz. Ela tinha um temperamento que deflagrava sem aviso e uma raia ciumenta que se sentia a um quilômetro de distância. Ela era exigente e teimosa, e ela me desafiava apenas para me deixar louco.

E tudo funcionava de uma forma que nunca tinha funcionado com nenhuma outra mulher, porque Eva era feita para mim. Eu acreditava nisso, como eu não acreditava em mais nada.

“É isso que você quer?”, Perguntei-lhe calmamente, procurando em seu rosto pela resposta.

"Você é o que eu quero. O resto é apenas logística “.

Minha boca estava seca de repente e meu batimento cardíaco acelerou muito rápido. Quando ela levantou a mão para escovar meu cabelo para trás eu peguei seu pulso e apertei a palma da mão na minha bochecha, fechando meus olhos enquanto eu absorvia seu toque.

A semana passada derreteu. Os dias que passamos separados, as horas de silêncio, o medo paralisante… Ela estava me mostrando todo o dia que ela estava pronta para seguir em frente, que eu tinha tomado a decisão certa de falar com o Dr. Petersen. De falar com ela .

Não só ela não se afastou, ela me queria mais. E ela me chamou de seu milagre?

Eva suspirou. Sentindo o último ponto de sua tensão se afastar. Ficamos ali, nos reconectando um com o outro, tomando a força que era necessária. Isso me sacudiu até os ossos, saber que eu poderia trazê-la um pouco de paz.

E o que ela me trouxe?

Tudo.
Você pode acessar a versão original no site da autora clicando aqui.

Mais uma vez, a tradução acima é da Lari do Série Crossfire Brasil, você pode acessar o site clicando aqui.

Se por algum motivo você ainda não conhece a página no Facebook ou ainda está se ambientando no mundo de Gideon Cross e Eva Tramell, então fique de olho na página do Série Crossfire Brasil. Lá as meninas estão sempre postando atualizações da série!

Para quem ainda não sabe, a ordem de leitura da série é a seguinte: 

             * Livro 01 - Toda Sua
             * Livro 02 - Profundamente Sua
             * Livro 03 - Para Sempre Sua
             * Livro 04 - Somente Sua
              * Livro 05 - One With You 

Beijos,
Mari.

2 recadinhos :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...