Sam Cabot - O Sangue do Cordeiro


Oi pessoal!

Hoje trouxe um livro diferente... Como a própria sinopse faz alusão, o livro lembra bem o estilo de Dan Brow e também tem um quê de Anne Rice. 

Em 'O Sangue do Cordeiro' temos uma trama que gira em torno de um documento que há muito se encontra perdido, mas que apenas recentemente é que sua existência fora descoberta. 

Para tentar recuperar tal documento, Thomas Kelly, um padre jesuíta, é chamado para tentar recuperá-lo, ao mesmo tempo que Livia Pietro também é enviada pelo seu povo para se juntar a Thomas na busca pela Concordata.

Livia e seu povo temem que o documento caia em mãos indevidas e que o segredo deles há muito enterrado, venha a tona.

"Este documento, querida amiga, vai abalar a Igreja."
Ao ler essas palavras em uma carta encontrada em um arquivo empoeirado, Thomas Kelly fica cético. O documento citado na correspondência está desaparecido, mas Thomas, padre da ordem dos jesuítas, duvida que exista algo com tal poder - até ser convocado ao Vaticano para iniciar uma busca desesperada por ele. 
Enquanto isso, diante de um conselho formado por seus superiores, Livia Pietro recebe instruções claras: encontrar um padre jesuíta recém-chegado a Roma e juntar-se a ele na procura da Concordata, um tratado que contém um segredo tão chocante que poderá destruir para sempre o povo de Livia. 
Enquanto pistas cifradas do passado lançam os dois em um universo traiçoeiro repleto de obras de arte, maquinações religiosas e conspirações, eles são caçados por pessoas capazes de tudo para achar o documento primeiro. Thomas e Livia, então, precisam correr para montar o quebra-cabeça capaz de redefinir os rumos da história e evitar o caos e a destruição que a revelação da Concordata poderá causar. Livia, porém, tem um segredo: ela e seu povo são vampiros. 
Com uma narrativa que remete ao estilo de Dan Brown e ao terror sobrenatural de Anne Rice, O Sangue do Cordeiro é uma viagem inesquecível a um passado inimaginável."

Então... Não sei exatamente o que achar sobre esse livro... Não sou dada a ler nada de tema religioso, evito esses temas, mas resolvi dar uma chance ao livro por causa daquela palavrinha mágica na sinopse: vampiros.  (Sim, me julguem!) Isso sem falar pelo fato da última frase que faz alusão à Dan Brown e Anne Rice.

Eis minhas impressões:

Confesso que logo no início o livro não me prendeu, pensei até em desistir, mas como sou teimosa (se é que vocês ainda não notaram...), resolvi ir até o final. E para minha surpresa, lá pela página 100 comecei a pegar gosto pelo livro. (Você que já leu, também foi assim?)

Os primeiros capítulos foram até que monótonos e não me prenderam. Um poeta, uma carta e um documento roubado e que se perde no decorrer do tempo. Anos mais tarde, a evidência de tal documento ressurge e o perigo das informações vazarem é tremenda.

Então Livia Pietro é  enviada pela conclave de seu povo, os noantri em uma missão com dois objetivos: encontrar a Concordata e eliminar a ameaça.

Mas para sair em busca do documento, os noantri colocam Livia no caminho de 
Thomas Kelly, um padre jesuíta, recém chegado a Roma, com uma missão tão parecida quanto a sua. O objetivo primário dos dois? Encontrar a Concordata. Então os ambos começam a busca desenfreada para encontrar o dito documento. 

Ambos os personagens são fortes, principalmente Livia. Ela incorpora tudo o que pensamos sobre vampiros, ou pelo menos vampiras, é uma personagem forte e destemida. Já o padreco Thomas Kelly, esse sim conseguiu me dar nos nervos. Acho incrível, não há um único livro que eu não me irrite com um dos personagens... Mas Thomas conseguiu superar minha irritação e se redimiu no decorrer da trama.

Uma aliança surge entre eles, mas pode ser abalada com a revelação do segredo de Livia e também com a reação de Thomas. Embora a conclave acreditasse que por Thomas ser um pesquisador, ele seria receptivo ao fato de Livia ser uma vampira, não foi bem isso o que aconteceu...

O livro é muito bem escrito, cheio de ação, intrigas e detalhes; quem gosta desse tipo de escrita/leitura vai se deleitar com 'O Sangue do Cordeiro' pois o livro é extremamente rico nessas questões.

Também adorei o fato de que os autores colocaram algumas personalidades como vampiras(os), isso deu uma incrementada na leitura...

Um detalhe importante a ser ressaltado é que a história é narrada em terceira pessoa e não fica só ali em cima de Livia e Thomas. Como diversos personagens surgem e têm papel ativo na trama, alguns capítulos são capítulos mais voltados para o ponto de vista deles, tudo isso sem sair do enfoque original da história.

Ainda sobre a questão dos capítulos... 'O Sangue do Cordeiro' não segue aquele padrão de X páginas para cada capítulo ou então um capítulo pelo ponto de vista da Livia e outro do Thomas. Sam Cabot conseguiu quebrar bem a monotonia da divisão, então temos capítulos com mais páginas e outros com menos, uns voltados para Livia, outros para Thomas e outros para personagens secundários...

Com certeza é uma leitura que eu recomendo e que foge totalmente dos demais livros que já resenhei aqui no blog (caso vocês ainda não tenham notado.. Hahahah).

OBS:. Para quem não sabe, como eu até então não sabia, Sam Cabot na verdade é um pseudônimo usado por dois autores: Carlos Dews e S. J. Rozan.
Vocês podem encontrar o livro para comprar nos seguintes sites: AmazonAmericanasCasas BahiaCulturaFnac, Ponto FrioSaraivaSubmarino.

Outros links: Skoob e Goodreads


Beijos,
Mari. 

0 recadinhos :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...