Abbi Glines - Rosemary Beach 12 - When You're Back


Oi gente!

Para quem acompanha o blog, sabe que sempre estou trazendo traduções de trechos liberados pelos autores... além de saber como eu adoro a série Rosemary Beach da Abbi Glines que é publicado aqui no Brasil pela editora Arqueiro...

Então nada mais justo trazer para vocês a tradução do primeiro capítulo do novo livro da série, que será lançado dia 30 de junho na gringa.

'When You're Back' é a continuação da história de Reese e Mase, logo após ela ir conhecer a família de seu pai em Chicago.

Vamos aos avisos de sempre quando posto traduções aqui no blog: se for reproduzir a tradução em algum lugar, não deixe de dar os créditos ao blog!

Reese

Foram vinte e dois dias, cinco horas, e trinta minutos desde que eu havia me despedido de Mase no aeroporto de O'Hare. Uma vez que ele teve certeza que eu estava segura na casa do meu pai em Chicago com a minha recém encontrada família, ele havia retornado ao Texas para o rancho de sua família, que não funcionava sem ele.

Voltar com ele tinha sido tentador. Eu estava pronta para começar minha vida com Mase, e estava ansiosa para fazer do seu lar, o nosso. Mas primeiro, eu precisava fazer isso.

Um pouco mais de um mês atrás, um educado e bem afeiçoado homem italiano tinha batido na minha porta em Rosemary Beach, onde eu estava trabalhando como empregada para uma das famílias mais ricas da cidade. Não muito depois eu conheci Mase, o pai que eu nunca havia conhecidoe nem tinha certeza que estava vivotinha voltado para a minha vida, querendo fazer parte dela.

Mase tinha estado lá comigo, segurando minha mão por todo o processo. Benedetto ficou conosco em Rosemary Beach por uma semana, e então todos fomos para Chicago juntos.

Logo descobri que não apenas tinha um pai, mas também um irmão. Ele era dois anos mais novo do que eu e um rebelde total; Raul me fazia rir constantemente. Eu também tinha uma avó, ou nonna, como ela preferia ser chamada. Ela amava sentar e falar comigo por horas. Ela me contou histórias sobre meu pai quando ele mais novo e me mostrou fotos da infância de Raul. Ela me contou como suplicou para Benedetto me encontrar. Ele teve suas razões para não ir atrás de mim. Isso foi tudo o que ele disse. Eu queria odiá-lo por não ter ido me procurar quando eu era mais nova, mas não conseguia. Minha vida tinha me levado para Mase. 

O tempo que eu passei com eles tinha sido incrível, mas eu sentia falta de Mase. Falar com ele todas as noites não era o suficiente. Eu precisava dele. Precisava dele mais do que precisava de um pai, irmão, e uma nonna. Mase era minha família. A primeira pessoa que tinha realmente tentado estar lá para mim depois de uma vida inteira de abuso pela minha mãe e padrasto.

Agora, finalmente, eu estava em casaou em um lugar que estava para se tornar meu lar antes do meu pai aparecer. Mase e eu estávamos planejando morar juntod, mas isso não tinha acontecido totalmente ainda.

Eu não tinha deixado Mase saber que eu ia voltar mais cedo. Eu queria surpreendê-lo. 

O taxista parou do lado de fora da casa dos pais de Mase na extensão do rancho. Uma rápida olhada para a casa escura me informou que ninguém estava em casa. Bom. Minha surpresa era apenas para Mase. Paguei rapidamente o motorista, tirei a minha única mala do porta-malas, e me apressei para os estábulos. A caminhonete de Mase estava estacionando do lado de fora ao lado de outra que não reconheci.

Larguei minha mala ao lado da sua caminhonete, então desci pelo pequeno morro que levava aos estábulos. Eu sabia que ele estava ali, já que ele não estava planejando treinar nenhum cavalo naquele dia. Meu coração estava batendo forte com excitação, minhas mãos estavam coçando para tocá-lo. Estava agradecida por ter tido tempo com a minha família, mas não iria deixar Mase novamente. Se ele não pudesse ir comigo para Chicago na próxima vez, então eu não iria. Eles todos teriam que vir me visitar aqui.

Uma risada feminina ressoava pelo estábulo conforme eu chegava mais perto. Ele estava fazendo alguma negociação? Eu não queria interromper se ele estivesse com um cliente. Não poderia me jogar em seus braços se ele estivesse no meio de uma negociação com um cavalo e seu dono. Parei do lado de fora do estábulo. 

"Não, Mase, você prometeu na outra noite que hoje iríamos anda a cavalo. Você não pode se esquivar para trabalhar. Eu quero meu passeio." A mulher disse. Sua voz fez um arrepio descer pela minha espinha. Era jovem e divertida; ela era muito familiar com ele.

"Eu sei que prometi, mas eu tenho trabalho a fazer. Você terá que ser paciente." Ele respondeu.

"Vou bater meus cílios e fazer beicinho se não conseguir o que eu quero." A mulher ameaçou.

"Sem joguinhos hoje, Aida. Sério, tenho coisas para fazer. Você monopolizou todo o meu tempo nos últimos dois dias." Ele disse em uma voz que me fez recuar. Eu conhecia aquele tom. Ele usava comigo.

"Mas estou entediada, e você sempre me entretém." Ela argumentou brincalhona.

"Sério, preciso que você me dê tempo para fazer algumas coisas hoje. Vou te entreter hoje de noite. Nós sairemos, comeremos alguma coisa. Até levarei você para dançar."

Meu coração parou. O que eu estava ouvindo não poderia ser interpretado de muitas maneiras. Mase estava passando tempo com outra mulher. Ele se importava com ela. Eu podia ouvir isso em sua voz.

Assumi que ele estava me traindo uma vez. Não queria fazer isso de novo, mas o que mais isso poderia significar? Olhei para a caminhonete estacionada ao lado da dele e então de volta para a porta que levava para dentro do estábulo. Meu coração queria que eu fugisse e me encolhesse em uma bola para evitar que me quebrasse.

Mas minha cabeça estava me dizendo que eu precisava enfrentar isso. O que quer que fosse. Eu deveria ao menos dar a Mase a chance de explicar antes de eu ir embora.

Toda a excitação que eu estava sentindo momentos atrás morreu completamente. Eu estava cheia de emoções que não conseguia nem começar a explicar.

A risada da mulher flutuou para fora, seguida pelo baixo riso de Mase, o qual sempre me fazia sentir aquecida por dentro. Ele estava curtindo. Estar com essa mulher o fazia feliz. Eu estive fora por muito tempo? Ele precisara de outra pessoa?

Ou ele descobriu que eu não era tão especial quanto ele havia pensado?

"Olá. Posso ajudar?" A voz feminina perguntou.

Levantei a cabeça para vê-la parada na porta do estábulo como se ela estivesse para sair. Ela era alta, com longo cabelo loiro preso em um rabo de cavalo. Sem qualquer maquiagem, ela ainda era deslumbrante. Lábios carnudos e perfeitos dentes brancos. Seus grandes olhos verdes pareciam brilhar com felicidade. Mase tinha esse efeito nas mulheres.

"Você está aqui por algum cavalo?" Ela perguntou, quando eu não falei nada, apenas fiquei parada e encarando-a. Os jeans que estava vestindo eram apertados e exibiam quadris finos e pequenas coxas. Ela tinha corpo de modelo. Eu não.

"E-eu, uh" Gaguejei. Como eu poderia falar com essa mulher? Eu deveria apenas ter ido embora. Confrontar Mase enquanto ela estivesse ali, parecendo uma boneca Barbie, ia ser impossível. Ele iria olhar para nós duas paradas lado a lado e ver qual material era melhor.

"Você está perdida?" Ela perguntou.

Sim. Eu estava completamente perdida. Tudo o que eu achava saber não era verdade, tudo o que eu pensei que era meu, não era. "Talvez." Sussurrei, então balancei a cabeça. "Não. Eu vim ver"

"Reese!" A voz de Mase surgiu atrás da mulher, e antes que eu pudesse dizer qualquer outra coisa, ele estava empurrando-a ao passar e me agarrando em seus braços. "Você está aqui! Por que você não me disse que estava vindo para casa? Eu teria ido buscar você. Deus, você cheira tão bem. Senti saudades disso. Senti tanto a sua falta!"

Encarei a mulher por cima de seu ombro, que não estava mais sorrindo. Ela estava olhando para mim como se eu fosse repulsiva.

"Eu queria... Eu queria sur-surpreender você." Tropecei nas palavras, sem ter certeza o que pensar. Eu o tinha ouvido com ela. Sabia que ele estava passando tempo com ela, e obviamente ela não me queria aqui.

Ele agarrou meu rosto e cobriu minha boca com a sua. Tão insegura como eu estava e machucada como tinha estado pelo que tinha escutado entre ele e essa mulher, eu rapidamente empurrei meus sentimentos de lado. O gosto de Mase e a sensação de seus lábios se movendo contra os meus sempre me derretia. Ele aprofundou o beijo, e eu me abracei a ele enquanto inalava seu cheiro. O roçar de sua língua na minha me arrepiou. Nada mais no mundo importava quando eu estava assim com ele.

"Ahem. Ainda estou aqui, pessoal. Lembram de mim?" A voz da outra mulher quebrou a delicadeza do momento, e eu congelei. Afastando-se de mim, Mase riu e olhou para a mulher, mantendo seus braços ao redor de mim.

"Desculpe, Aida, minha mulher está em casa, e eu estarei em todos os tipos de melação pelo menos pelas próximas 48 horas. Talvez mais. Vá encontrar algo para fazer na casa." Ele disse, então beijou a ponta do meu nariz enquanto ficava de costas para a mulher novamente.

"É meio rude sair e me deixar e não me apresentar para a sua amiga." Ela replicou, com óbvio desgosto em seu tom.

Mase sorriu e piscou para mim. "Ela é uma diva. Você se acostumará com ela." Então ele virou a cabeça para a mulher. "Aida, essa é a Reese, a mulher sobre a qual eu não parei de falar. Aquela com a qual eu falo por horas todas as noites." Ele voltou sua atenção para mim. "Reese, conheça a minha única prima, Aida. Ela é um pouco mimada, muito dramática, e facilmente tediosa."

Prima? Se isso era o que ela era, por que estava olhando para mim como se eu estivesse em seu caminho?

Olhei de volta para Aida, e ela sorriu. Embora eu estivesse confortada por saber que eles eram familiares, algo na maneira como ela me olhou parecia desafiador.

Que... estanho.
E aí, gostaram? Só sei que vou pirar com essa quantidade de livros, mas isso não é uma reclamação, tá?! Hahahahha.

Para quem tem o inglês afiado e não quer esperar até ser lançado aqui no Brasil, o livro está disponível para a compra na Amazon, clique aqui.

Lembrando que a série Rosemary Beach da Abbi Glines conta atualmente com 15 livros confirmados (na gringa): 11 publicados, 1 (When You're Back) que será publicado agora no final de junho, e mais 3 confirmados para publicação entre 2015 e 2016.

No Brasil, a editora Arqueiro acabou de lançar o livro 'Rush Sem Limites' que logo mais estarei fazendo resenha aqui no blog.

Para quem quer acompanhar a série, abaixo estou colocando a listagem em ordem, e se quiser ler as resenhas, é só clicar em cima dos nomes em negrito: 

           * Sem Limites - Livro 04 - Rush Sem Limites (publicado em junho no Brasil) 
           * Chances - Livro 01 - Take a Chance (ainda não publicado no Brasil) 
           * Chances - Livro 02 - One More Chance (ainda não publicado no Brasil)
           * You Were Mine (Tripp & Bethy) (ainda não publicado no Brasil)
           * Kiro's Emily (ainda não publicado no Brasil)
           * Mase - Livro 01 - When I'm Gone (ainda não publicado no Brasil) 
           * Mase - Livro 02 - When You're Back (ainda não publicado no Brasil) 
           * Livro 13 - The Best Goodbye (ainda não publicado) 
           * Livro 14 - Sem Título - Nan (ainda não publicado) 
           * Livro 14.5 (15) - Sem Título (ainda não publicado)

Beijos,
Mari.

5 recadinhos :

  1. Eu preciso desse livro em pdf , Alguém tem ??? . Email : Lays_pdss@outlook.com .. Me mandem pfv . Bjs obrigado

    ResponderExcluir
  2. Poxa sou apaixonada com a serie Rosemary Beach, na verdade Abbi glanes me manda o livro traduzido em pdf quem tiver por favorrrrrr. marioliver03@hotmai.com

    ResponderExcluir
  3. Mari, vc sabe se ja tem o pdf desse livro disponivel na web? Se vc tiver poderia me envia? Meu email é maiara.info@gmail.com. Obrigada *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maiara! Não disponibilizamos livros dessa maneira, apenas livros físicos quando fazemos promoções e sorteios no blog. Mas a editora Arqueiro está publicando a série super rápido; tem lançamento a cada 3 meses, então logo logo vai estar aí para podermos ter em nossas estantes. :D

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...