E. L. James - Cinquenta Tons 01 - Cinquenta Tons de Cinza

Oi gente!

Notei que até hoje não fiz nenhum post aqui no blog referente à trilogia Cinquenta Tons. Pois que não seja por isso!

No primeiro livro conhecemos Anastasia Steele, uma mera estudante de literatura inglesa e Christian Grey, o CEO da Grey Enterprises Holdings e maníaco por poder. 

Os dois se conhecem quando Ana vai entrevistar Christian no lugar de sua amiga, Kate, que ficou doente. Ótimo timing hein!? E desde o começo ele fica como um predador à espreita de sua presa

Cinquenta Tons é uma série quente, do começo ao fim, com pitadas de sombras e luz, mas sem deixar o romance de lado. 
"Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. 

Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. 

Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos."

Acho que antes de começar a falar da história de Christian Grey e Anastasia Steele, tenho que falar um pouco da autora e de como surgiu a série...

Se ainda não é de conhecimento geral, E. L. James não é uma escritora "profissional", daquelas que já lançaram diversos livros, como por exemplo a Nora Roberts. E. L. James basicamente começou como grande parte dos novos autores, escrevendo fanfics. No caso dela foi uma baseada na série Crepúsculo {aquele do Edward e da Bella}, intitulado como "Mestre do Universo", apesar da autora ter mudado algumas partes, como os nomes dos personagens, etc, ela ainda faz referência ao primeiro título no decorrer dos livros. Alguém notou, ou só eu?

Como eu disse, ela não é uma profissional, então além de algumas inconsistências, também temos milhares de vícios de linguagem, de escrita nesse caso, e o exemplo mais notório é a maldita expressão "minha deusa interior", no 2o livro eu já estava ficando louca com isso, mas tudo bem...

Agora vamos ao livro...

Para quem não sabe, Cinquenta Tons é uma série BDSM. Mas o que é BDSM? Basicamente são pessoas que conseguem tirar prazer ao infligir dor durante o sexo. E é aí que já começam as inconsistências. Ana é virgem, e ela deixa isso bem claro para o Christian. Então eu me pergunto, como é que alguém introduz logo de cara um parceiro virgem, que nunca teve contato com esse tipo de prática? Entendem o que quero dizer?

Os dois se conhecem quando Ana vai entrevistá-lo no lugar de Kate, sua amiga, que acabou ficando doente. E logo aí já temos um momento de vergonha alheia. Vocês que leram sabem muito bem do que estou falando. Apesar do livro ser apenas do POV (ponto de vista) da Ana, percebe-se que a atração não é apenas dela. Então fica aquele climão durante a entrevista. E mesmo depois da entrevista...

Mesmo apesar de serem de mundos diferentes, os dois ficam naquela dança mortal por um tempo. Quero, mas não quero. Preciso, mas tenho medo... Situação extremamente irritante para quem lê, ainda mais quando se tem que aturar a "deusa interior" da Ana...

Quando finalmente rola um movimento, você meio que fica paralisada. Porque o Christian de cara joga muita coisa na Ana e você fica pensando se ela vai aceitar, ou qual será a reação dela e blá blá blá. Ainda mais com a questão do contrato. Quando apareceu essa cena, eu fiquei com uma cara de "What the hell!?". E consegui imaginar perfeitamente a cara do Christian quando ele viu a Wanda, o fusca da Ana...

Apesar de Christian dizer que ele não sabe nada sobre romance, que ele faz outras coisas "com força", é impossível negar que ele tem uma veia romântica. Prova disso são os passeios que ele faz com a Ana, com por exemplo o planador... Quem não se encantou com essa parte? Ou então os presentes que ele dá para a Ana, como os livros extremamente raros e absurdamente caros...

Mas acho que o ponto mais alto do livro é quando ela começa a se perguntar se será capaz de satisfazer todas as necessidade do Christian. Por mais que ela tente experimentar coisas novas ainda há algo que a segura. E o Christian é muito sombrio, e isso a assusta, embora ele diga que ela é a sua luz.

Para que eles possam seguir um caminho, mesmo que seja separados, os dois precisam vencer seus medos, suas necessidade e evoluírem. E VOCÊ FICA COM O CORAÇÃO NA MÃO, além da vontade de socar a Anastasia, que eu já estava apelidando de Antastasia...

A Ana, na minha opinião, é bem sem sal nesse 1o livro, exatamente como a Bella em Crepúsculo, e no 2o livro ela começa a dar uma melhorada. E o Christian permanece sombrio, não temos uma noção muito boa do quão profundo ele é, apenas que ele é muuuuuuito sombrio e que há muito que não sabemos sobre ele, além do fato de ser um "maníaco por controle", possessivo e mandão.

Os outros personagens também chamam bastante atenção, mas como eu já disse no decorrer do post, há tantas inconsistências e faltas de continuidade que personagens promissores acabam se perdendo. A Kate, que eu achei que ia aparecer pra caramba no livro, a autora coloca ela numa viajem lá para os quintos dos infernos. O José que eu achei que ia ser um rival em peso para o Christian, acabou sendo tão sem sal quanto a Ana...

Mas enfim, só não dou 5 estrelas, apesar do Christian Grey merecer, porque há tantos fios soltos e pontos não explorados, que honestamente acabaram me deixando perdida. Então dou 3 estrelas e meia...

Uma última observação que tenho que fazer, é que o tema de Cinquenta Tons, não o BDSM, mas o CEO controlador e mandão, não é novidade, principalmente para quem já lia romances florzinhas, Bianca, Julia, Harlequin e cia. Então se vocês se depararem com histórias que têm essas características, nada de dizer que determinada autora copiou a ideia da E. L. James hein, porque pode ser justamente ao contrário...
Vocês podem encontrar o livro para comprar nos seguintes sites: Americanas, Cultura, Extra, Saraiva, Submarino.

O box com a trilogia vocês encontram nos sites: Americanas, Extra, Saraiva, Submarino.

Outros links: Skoob e Goodreads
                                                                    ~*~

Segue abaixo os títulos da trilogia em ordem de leitura:

           * Livro 1 - Cinquenta Tons de Cinza
           * Livro 2 - Cinquenta Tons Mais Escuros
           * Livro 3 - Cinquenta Tons de Liberdade

E é claro que eu não poderia terminar este post sem falar nada sobre o filme. Como todo mundo já sabe, Jamie Dornan (lindo, tesão, bonito e gostosão) será Christian Grey, e Dakota Johnson será a Srta. Anastasia Steele.

E AGORA UM POEMA: O Christian Grey eu queria ter, mas como isso não vai acontecer, ao menos o trailer eu posso ver!



Beijos,
Mari.

Trilogia Cinquenta Tons - E. L. James

0 recadinhos :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...