Julia Quinn - Os Bridgertons 01 - O Duque e Eu

Oi gente!

Depois de hot e de ficção fantástica, era hora de um romance de época aparecer por aqui! E nada mais justo do que traxer um livrinho da Julia Quinn!

“Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett

“Inteligente e divertido.” – revista Time

Sim, essas afirmações, no meu ponto de vista, são totalmente verdadeiras. E vocês vão entender, e muito provavelmente concordar, quando lerem o livro.

É difícil um romance de época ser leve e mesmo assim marcante, e com esse primeiro livro da série Os Bridgerton, a autora já nos mostra como serão os próximos livros dessa família.

Com uma delicadeza indescritível, Julia Quinn faz jus aos seus merecidos prêmios RITA e mostra por que entrou para a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos (Romance Writers of America's Hall of Fame).
 
"Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível.

É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga.

A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.

Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.
"

E lá fui eu me meter em outra série... Apesar desta família ser composta por oito, sim, OITO irmãos, não tenho nada do que reclamar! A família Bridgerton me prendeu do começo ao fim. Tanto que nem coloquei o primeiro livro na prateleira e já comecei o segundo!

Impossível não se apaixonar pela história de Simon Basset. Ele perdeu a mãe no parto, não teve o carinho e a presença do pai enquanto crescia, e para piorar o quadro, o menino não falou até os 4 anos de idade e quando finalmente falou, apenas gaguejava. Para o pai, um duque, o filho não passava de um 'débil mental', e que o ducado de Hastings estaria perdido. 

Mas o menino se transformou em homem e deu a volta por cima. Completou os estudos, superou a gagueira e tomou posse do ducado. Mas infelizmente para Simon, isso o levou a ser alvo das mamães casamenteiras de Londres.

Enquanto isso, na família abecedário... Ai, não, pera! Família Bridgerton!

Daphne, tenta se ajustar à sociedade londrina à fim de encontrar um bom partido. Mas como ela vai conseguir um marido, se a maioria dos homens apenas olham para ela como amiga? E mesmo assim, como ela conseguiria algum pretendente com aquele mar de irmãos?

E é aí que Simon, melhor amigo de seu irmão mais velho, Anthony, entra na jogada. Os dois se conhecem quando Daphne está tentando se livrar de investidas amorosas de um embriagado Nigel Berbrooke. Bom, aí vocês podem imaginar o que vem em seguida...
A proposta de Simon é cortejá-la de mentirinha, o que, segundo ele, despertaria o interesse dos homens nela como mulher. E em troca, ele se veria livre das investidas das temidas 'mães'. Mas um momento de deslize dos dois contribui para que sejam vistos em um momento para lá de comprometedor. E a solução? Duelo ou casamento!

A partir daí Daphne sai em uma corrida desenfreada para salvar o amado da morte certa. E com um pouco de 'carinha de cachorro sem dono', ela consegue comovê-lo e ele aceita o casamento.

Mas a melhor cena, foi do dia anterior ao casamento, quando a mãe apareceu no quarto dela para ter 'a conversa'. Nunca ri tanto em uma cena como essa. A mãe toda encabulada, tentando explicar para a filha os 'deveres matrimoniais'. E como os bebês eram gerados. Definitivamente me rendeu boas risadas!
Para quem gosta de romances de época, e para quem quer dar uma pausa dos hot's, os livros da Julia Quinn são uma ótima pedida!

Abaixo está a sequência dos livros da série. A Editora Arqueiro lançou, até o momento, apenas até o 2o, mas já divulgaram o nome e a capa do 3o. A partir do 4o livro, os nomes são provisórios. Ah, do lado vou colocar o nome dos irmãos.

        * Livro 1 - O Duque e Eu (Daphne Bridgerton & Simon Basset)
        * Livro 2 - O Visconde Que Me Amava (Anthony Bridgerton & Kate Sheffield)
        * Livro 3 - Um Perfeito Cavalheiro (Benedict Bridgerton)
        * Livro 4 - Os Segredos de Mr. Bridgerton (Colin Bridgerton)
        * Livro 5 - Para Sir Phillip Com Amor (Eloise Bridgerton)
        * Livro 6 - O Conde Enfeitiçado (Francesca Bridgerton)
        * Livro 7 - Um Beijo Inesquecível (Hyacinth Bridgerton)
        * Livro 8 -  A Caminho do Altar (Gregory Bridgerton)

Beijos,
Mari.
Mari.ttp://www.editoraarqueiro.com.br/livros/ver/197#sthash.er5CaDsJ.dpuf
“Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett
“Inteligente e divertido.” – revista Time
- See more at: http://www.editoraarqueiro.com.br/livros/ver/197#sthash.er5CaDsJ.dpuf
“Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett
“Inteligente e divertido.” – revista Time
- See more at: http://www.editoraarqueiro.com.br/livros/ver/197#sthash.er5CaDsJ.dpuf
“Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett
“Inteligente e divertido.” – revista Time
- See more at: http://www.editoraarqueiro.com.br/livros/ver/197#sthash.er5CaDsJ.dpuf

0 recadinhos :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...